A importância da Gestão de RH na prática estratégica da Manutenção
Gestão

A importância da Gestão de RH na prática estratégica da Manutenção

Engeman
Escrito por Engeman

Não resta dúvida que a Engenharia de Manutenção é uma área extremamente estratégica para o aumento da eficácia dos processos nas empresas: obtenção de melhorias, redução de custos operacionais e aumento nos lucros.

Um dos pontos fundamentais, na busca por uma Manutenção de Classe Mundial, é a gestão eficiente e contínua de RH. Muitos gestores ainda permanecem com uma visão focada em máquinas e equipamentos, preocupados apenas com números e indicadores como tempo de parada, MTBF, disponibilidade do equipamento, dentre outros. Esses indicadores são, na verdade, a ponta de um iceberg. Eles trazem à tona, por exemplo, as características do modelo de gestão implantado; como são nivelados os recursos disponíveis e como a mão de obra é aproveitada. 

Transfira a reflexão para a sua empresa: o capital humano é um diferencial competitivo, valorizado e alvo de investimento para uma qualificação contínua? Ou é visto somente como executante de tarefas específicas e pré-determinadas?

Vejamos as principais características encontradas no dia a dia das empresas em nosso país. A seleção foi feita por Júlio Nascif:

  • Alta taxa de retrabalho;
  • Falta de pessoal qualificado;
  • Convivência com problemas crônicos;
  • Falta de sobressalentes no estoque;
  • Número elevado de serviços não previstos;
  • Baixa produtividade;
  • Histórico de manutenção inexistente ou não confiável;
  • Falta de planejamento prévio;
  • Abuso de “gambiarras”;
  • Horas extras em profusão;
  • Total falta de tempo para qualquer coisa.

Nascif ainda alerta que, essas características, mesmo que algumas delas, podem ser o bastante para prejudicar os resultados de sua empresa, trazendo consequências, como:

  • Moral do grupo sempre em baixa;
  • Falta de confiança do(s) cliente(s);
  • Constante falta de pessoal;
  • Não cumprimento de prazos;
  • Elevado número de equipamentos em manutenção;
  • Disponibilidade baixa;
  • TMEF (MTBF) baixo;
  • Perda de produção por problemas de equipamentos;
  • Manutenção predominantemente corretiva não planejada;
  • Não se mede, não se estuda, não se planeja.

Voltemos a pensar em uma estrutura de empresa que seja do seu domínio: quantos desses problemas estão relacionados à gestão de seu pessoal? Não se assuste se a resposta for “todas!”. Infelizmente isso é mais comum do que se imagina.

Sendo assim, procure investir no crescimento profissional e na qualificação de seus colaboradores, valorizando seu conhecimento, experiência e trabalho. Alie as boas práticas de gestão ao Engeman®, ferramenta especializada em manutenção, que proporcionará maior eficiência na condução de sua equipe, desde o cadastro de cada funcionário e suas qualificações, até sua alocação correta na execução de serviços e análise de eficiências.

Sobre o autor

Engeman

Engeman

Deixar comentário.

Share This