A influência da gestão da manutenção nos resultados de uma empresa
Gestão

A influência da gestão da manutenção nos resultados de uma empresa

Engeman
Escrito por Engeman

Não importa o modelo de gestão da manutenção adotado em sua empresa, fato é que os resultados sofrerão influência direta da estratégia traçada, visto que a manutenção é um processo encapsulado dentro de outro ainda mais amplo e crucial aos resultados, que é a produção.

As exigências crescentes levaram a função Manutenção ao desenvolvimento de modelos, sistemas de gestão e utilização de técnicas de engenharia capazes de atender às demandas do mercado.

O conjunto de atividades desenvolvidas pela manutenção, em qualquer organização industrial, pode caracterizar a diferença entre o sucesso e o fracasso de um empreendimento, uma vez que a manutenção está associada a todas as ações necessárias para que os ativos físicos do processo produtivo sejam conservados ou restaurados. O foco é que se mantenha a condição especificada, estabelecendo as medidas necessárias que permitam o pleno funcionamento do sistema produtivo que envolve questões como: continuidade operacional, segurança, preservação do meio ambiente, atendimento aos marcos regulatórios, obtenção de produtos nas quantidades e prazos necessários, dentre outras.

Temos dois objetivos com o nosso estudo de hoje. Entender:

  1. a contribuição da produção nas estratégias competitivas;
  2. e como a Manutenção se insere no contexto produtivo, analisando como a cadeia de custos e singularidades podem se transformar em um diferencial competitivo no mundo dos negócios.

Slack et al (1996) consideram a produção como uma atividade central para a organização porque transforma matérias primas, energia e informações em bens e serviços. Até pouco tempo atrás, a produção era tratada sob a óptica de que as pessoas responsáveis pela função deveriam ser treinadas para buscar a eficiência máxima do setor produtivo de modo a atender às exigências das funções comerciais das empresas. Desse modo, ela seria avaliada unicamente pela constante busca de redução de custos. No entanto, a partir do final da década de 60, início de 70, empresas japonesas começaram a ganhar mercados antes dominados por empresas ocidentais, imprimindo as suas vantagens competitivas e verificando que, além dos custos, outros critérios competitivos (qualidade, prazo, flexibilidade, etc.) poderiam ser valorizados. Com isso, iniciou-se o estudo da contribuição dessa função para a competitividade e posicionamento das empresas.

No estabelecimento do relacionamento entre as funções produção e manutenção, Tsang (2002) aponta a manutenção como fator crucial da estratégia de produção. Ele considera a perda de seguidores da “economia de escala” como resultado do número crescente de organizações que implementaram o “lean manufacturing”, produção “just in time” e programas “six sigma”, cuja tendência indica uma mudança de ênfase de volume para resposta rápida, eliminação de perdas e prevenção de defeitos.  É a conscientização de que um ambiente no qual as “quebras” de equipamentos, perda de velocidade e processo errático criarão problemas imediatos para o adequado suprimento das demandas por produtos e/ ou serviços dos clientes.

Sendo assim, os recursos aplicados pela manutenção, que incluem mão de obra, materiais, sobressalentes, ferramentas, informação (destaque-se o Engeman®, software especialista em gerenciamento da manutenção) e recursos financeiros, terão na sua performance uma grande influência na disponibilidade de equipamentos, no volume, qualidade e custos de produção, assim como na segurança operacional, cujos resultados, por sua vez, irão determinar a rentabilidade do empreendimento.

Ainda dentro deste contexto, podemos dizer que a Manutenção é decisiva no processo produtivo, sendo a principal responsável não mais pelos reparos, mas sim pelo funcionamento efetivo dos sistemas, equipamentos e instalações.

Com a utilização do Engeman® é possível reduzir custos e otimizar os processos de manutenção em sua organização, uma vez que se trata de ferramenta ativa para a efetividade da produção e dos consequentes bons resultados, tanto nas estratégias internas, quanto na percepção do cliente final. 

Engeman®: manutenção tratada como uma vantagem competitiva

 

Desta forma, seja como um elo sutil dentro da cadeia de valor, com seus “tradeoffs” entre atividades diretas e indiretas (produção e manutenção), ou como uma parte da macro operação de produção, a manutenção contribui no processo de assegurar o lucro e o valor do empreendimento. Para tanto, há interferência na redução do número de falhas, aumentando o tempo médio entre elas (MTBF) e reduzindo o tempo de perda de produção para reparos, aumentando a disponibilidade de equipamentos e permitindo que a companhia controle seu nível de “output”, que afeta a rentabilidade das vendas e os custos de produção (retorno sobre investimento).

Com isso, temos a constatação de que os investimentos realizados na área de Manutenção são infinitamente menores que os custos decorrentes de quebras, falhas, perdas de produção, lucros cessantes, prejuízos às pessoas envolvidas e à imagem corporativa das organizações. Essa certeza agiliza os processos de produção, aumenta a confiabilidade dos serviços prestados e fideliza clientes.

 

Sobre o autor

Engeman

Engeman

Deixar comentário.

Share This