Certificação ISO 55.000: conheça o processo para obtê-la
ARTIGOS Manutenção

Certificação ISO 55.000: conheça o processo para obtê-la

Escrito por Engeman

A certificação ISO 55.000 se refere a uma norma que define uma série de requisitos voltados para a gestão de ativos em uma empresa. O objetivo é ajudar, primeiro de tudo, enquanto a alcançar um bom desempenho nessa área, além disso, atender às expectativas das partes interessadas, assim,  criando valor.

No artigo de hoje vamos abordar esse tema, enquanto explicamos o que é a gestão de ativos, os passos necessário para obter a certificação e quais benefícios ela pode proporcionar para os negócios. Continue com a leitura para saber mais!

O que é a gestão de ativos?

A gestão de ativos pode ser definida como o acompanhamento e gerenciamento do ciclo de vida dos ativos, como resultado,  que a empresa possui, incluindo máquinas, equipamentos e ferramentas. Esse período é referente ao tempo entre a aquisição e o descarte. 

Nessa administração, da mesma forma,  enquanto consideram-se os controles necessários, pela razão que, também, para manter um registro contendo os detalhes de um ativo (utilização, valores, entre outros). Essas informações precisam ser coerentes com os dados existentes no sistema utilizado.

Como a certificação ISO 55.000 pode ser obtida?

Existem 7 passos básicos — e seus requisitos — enquanto,  pela razão que,  também que precisam ser seguidos para só então tentar a obtenção da certificação ISO 55.000. São eles:

1. Contexto da organização

Independentemente, porque, como resultado, do tipo de ativo que é gerenciado, enquanto a aplicação da norma, da mesma forma,  pode se dar em diversos tipos de empresa. Entretanto, primeiramente, consequentemente,  deve-se compreender quais são os objetivos e o que se espera com essa nova gestão.

Seus requisitos compreendem:

  • o alinhamento dos objetivos organizacionais com as exigências da norma;

  • quais são as expectativas e necessidades das partes interessadas (alta gestão, investidores, entre outros);

  • quais serão os critérios utilizados no processo de tomada de decisão;

  • definição de um escopo e quais ativos farão parte da gestão;

  • desenvolvimento de um planejamento estratégico voltado para a gestão de ativos.

2. Liderança

Primeiro de tudo, do mesmo modo, assim esse é o momento, consequentemente, em que se determina a liderança para a implementação,  como resultado,  da norma na empresa da mesma forma, ou seja, da mesma forma, a definição de um líder. Do mesmo modo, ele será o responsável pela elaboração das estratégias e planos de ação, com o objetivo de valorizar os ativos da organização.

Seus requisitos compreendem:

  • o comprometimento com o sistema de gestão de ativos;

  • promoção de melhorias contínuas no sistema;

  • promover a colaboração dos envolvidos;

    • criar e formalizar uma Política de Gestão de ativos, porque,  que esteja alinhada às estratégias organizacionais;

  • definir as responsabilidades para a elaboração de planos, sua implementação, atualização e adequação (quando necessário).

3. Planejamento

Nessa fase, pela razão que,  porque enquanto todos os aspectos referentes ao planejamento devem ser levantados e organizados, como os critérios, métodos, processos e riscos envolvidos na gestão de ativos.

Também é o momento enquanto para avaliar se os objetivos estão sendo alcançados e, certamente, se estão ligados a outros aspectos na empresa.

Da mesma forma,  também, seus requisitos, como resultado, além disso, compreendem assim:

  • a realização de avaliações permanentes de oportunidades e riscos;

  • definição dos objetivos da gestão de ativos, alinhados aos objetivos da empresa;

  • promoção da integração entre o planejamento da gestão de ativos e outras atividades dentro do planejamento empresarial;

  • documentação e formalização dos critérios, processos e métodos da gestão;

  • levantamento de riscos ligados aos ativos e sua documentação no plano de gerenciamento de riscos do negócio.

4. Suporte

Essa fase é fundamental para o sucesso da implementação da certificação, haja vista que deve-se alcançar o apoio e o comprometimento de todos os colaboradores, além das partes interessadas.

Também, da mesma forma,  deve haver empenho para que a comunicação entre os setores envolvidos seja fluida, além disso, constante.

Seus requisitos compreendem:

  • provisão dos recursos que são necessários para a gestão de ativos (mão de obra, tempo, materiais, entre outros);

  • pessoal capacitado;

  • aprimorar o processo de comunicação e conscientização das equipes a respeito das mudanças necessárias;

  • definição das informações necessárias para o sistema de gestão de ativos e sua documentação;

5. Operação

Fase mais prática da implementação dos requisitos da norma.

Seus requisitos compreendem:

  • adoção e monitoramento dos processos necessários para atender aos requisitos da certificação ISO 55.000;

  • implementação das ações definidas na fase de planejamento;

  • identificação, tratamento e acompanhamento dos riscos;

  • gestão das mudanças — com os impactos bem definidos.

6. Avaliação de desempenho

Esse é o momento, devido a,  em que metodologias de análises na gestão de ativos são criadas e definidas, consequentemente com o objetivo de avaliar o desempenho financeiro.

Seus requisitos compreendem:

  • definição das métricas e os métodos de avaliação;

  • foco na performance financeira, de modo geral — primeiro de tudo e não somente voltado para a gestão de ativos;

  • realização de auditorias internas;

  • análise por parte da alta gestão.

7. Melhoria

Essa fase é voltada para as melhorias necessárias, assim, do mesmo modo, enquanto identificadas por meio da realização das auditorias internas. Entre elas:

  1. No desempenho financeiro;

  2. Nas metodologias e critérios para a tomada de decisão;

  3. Dos produtos e serviços oferecidos;

  4. Da reputação da empresa no mercado, por meio do aumento na satisfação dos clientes;

  5. Dos níveis de eficiência e eficácia — mensuradas pelo acompanhamento dos processos.

Seus requisitos, consequentemente,  compreendem assim:

  • definição dos critérios usados na identificação de não conformidades;

  • elaboração de ações preventivas;

  • tratamento das não conformidades;

  • adoção de uma rotina de melhoria contínua na gestão de ativos.

Quais benefícios ela proporciona para as empresas?

A gestão de ativos, enquanto aliada à certificação ISO 55.000 proporciona, consequentemente, diversas vantagens para as empresas,  em contraste, entre as quais podemos citar:

  • melhoria no retorno sobre o investimento (ROI), redução de custos e preservação dos valores dos ativos — fatores que levam a uma melhoria no desempenho financeiro empresarial;

  • definição de critérios e métodos claros e precisos para o processo de tomada de decisão e definição de prioridades;

  • aumento da qualidade dos produtos e serviços oferecidos;

  • transparência na demonstração do cumprimento dos requisitos, normas e regimentos internos;

  • melhoria na imagem da empresa no mercado, decorrente da satisfação dos clientes e das partes interessadas;

  • crescimento sustentável das operações, alcançado por meio de uma gestão de custos eficaz;

  • aumento da eficiência nos processos, por meio da avaliação, correção e melhoria dos métodos de trabalho.

Como se pode ver,  da mesma forma, a certificação, do mesmo modo, ISO 55.000 envolve diversas etapas, consequentemente, que promovem mudanças e melhorias na forma como as operações são acompanhadas. Tudo isso começa na implementação de uma gestão e um sistema de ativos — dois aspectos básicos para o atendimento dos requisitos da norma.

O que achou deste artigo? Quer acompanhar outros conteúdos e novidades que nós trazemos? Então siga nossos perfis nas redes sociais (Facebook, Google Plus e LinkedIn) e fique por dentro de tudo!

 

Sobre o autor

Engeman

Deixar comentário.

Share This