Certificação ISO 55.000: conheça o processo para obtê-la
ARTIGOS

Certificação ISO 55.000: conheça o processo para obtê-la

Escrito por

A certificação ISO 55.000 se refere a uma norma que define uma série de requisitos voltados para a gestão de ativos em uma empresa. O objetivo é ajudar a alcançar um bom desempenho nessa área e atender às expectativas das partes interessadas, criando valor.

No artigo de hoje vamos abordar esse tema, explicando o que é a gestão de ativos, os passos necessário para obter a certificação e quais benefícios ela pode proporcionar para os negócios. Continue com a leitura para saber mais!

O que é a gestão de ativos?

A gestão de ativos pode ser definida como o acompanhamento e gerenciamento do ciclo de vida dos ativos que a empresa possui, incluindo máquinas, equipamentos e ferramentas. Esse período é referente ao tempo entre a aquisição e o descarte.

Nessa administração consideram-se os controles necessários para manter um registro contendo os detalhes de um ativo (utilização, valores, entre outros). Essas informações precisam ser coerentes com os dados existentes no sistema utilizado.

Como a certificação ISO 55.000 pode ser obtida?

Existem 7 passos básicos — e seus requisitos — que precisam ser seguidos para só então tentar a obtenção da certificação ISO 55.000. São eles:

1. Contexto da organização

Independentemente do tipo de ativo que é gerenciado, a aplicação da norma pode se dar em diversos tipos de empresa. Entretanto, primeiramente deve-se compreender quais são os objetivos e o que se espera com essa nova gestão.

Seus requisitos compreendem:

  • o alinhamento dos objetivos organizacionais com as exigências da norma;

  • quais são as expectativas e necessidades das partes interessadas (alta gestão, investidores, entre outros);

  • quais serão os critérios utilizados no processo de tomada de decisão;

  • definição de um escopo e quais ativos farão parte da gestão;

  • desenvolvimento de um planejamento estratégico voltado para a gestão de ativos.

2. Liderança

Esse é o momento em que se determina a liderança para a implementação da norma na empresa, ou seja, a definição de um líder. Ele será o responsável pela elaboração das estratégias e planos de ação, com o objetivo de valorizar os ativos da organização.

Seus requisitos compreendem:

  • o comprometimento com o sistema de gestão de ativos;

  • promoção de melhorias contínuas no sistema;

  • promover a colaboração dos envolvidos;

  • criar e formalizar uma Política de Gestão de ativos que esteja alinhada às estratégias organizacionais;

  • definir as responsabilidades para a elaboração de planos, sua implementação, atualização e adequação (quando necessário).

3. Planejamento

Nessa fase, todos os aspectos referentes ao planejamento devem ser levantados e organizados, como os critérios, métodos, processos e riscos envolvidos na gestão de ativos.

Também é o momento para avaliar se os objetivos estão sendo alcançados e se estão ligados a outros aspectos na empresa.

Seus requisitos compreendem:

  • a realização de avaliações permanentes de oportunidades e riscos;

  • definição dos objetivos da gestão de ativos, alinhados aos objetivos da empresa;

  • promoção da integração entre o planejamento da gestão de ativos e outras atividades dentro do planejamento empresarial;

  • documentação e formalização dos critérios, processos e métodos da gestão;

  • levantamento de riscos ligados aos ativos e sua documentação no plano de gerenciamento de riscos do negócio.

4. Suporte

Essa fase é fundamental para o sucesso da implementação da certificação, haja vista que deve-se alcançar o apoio e o comprometimento de todos os colaboradores, além das partes interessadas.

Também deve haver empenho para que a comunicação entre os setores envolvidos seja fluida e constante.

Seus requisitos compreendem:

  • provisão dos recursos que são necessários para a gestão de ativos (mão de obra, tempo, materiais, entre outros);

  • pessoal capacitado;

  • aprimorar o processo de comunicação e conscientização das equipes a respeito das mudanças necessárias;

  • definição das informações necessárias para o sistema de gestão de ativos e sua documentação;

5. Operação

Fase mais prática da implementação dos requisitos da norma.

Seus requisitos compreendem:

  • adoção e monitoramento dos processos necessários para atender aos requisitos da certificação ISO 55.000;

  • implementação das ações definidas na fase de planejamento;

  • identificação, tratamento e acompanhamento dos riscos;

  • gestão das mudanças — com os impactos bem definidos.

6. Avaliação de desempenho

Esse é o momento em que metodologias de análises na gestão de ativos são criadas e definidas, com o objetivo de avaliar o desempenho financeiro.

Seus requisitos compreendem:

  • definição das métricas e os métodos de avaliação;

  • foco na performance financeira, de modo geral — e não somente voltado para a gestão de ativos;

  • realização de auditorias internas;

  • análise por parte da alta gestão.

7. Melhoria

Essa fase é voltada para as melhorias necessárias, identificadas por meio da realização das auditorias internas. Entre elas:

  1. No desempenho financeiro;

  2. Nas metodologias e critérios para a tomada de decisão;

  3. Dos produtos e serviços oferecidos;

  4. Da reputação da empresa no mercado, por meio do aumento na satisfação dos clientes;

  5. Dos níveis de eficiência e eficácia — mensuradas pelo acompanhamento dos processos.

Seus requisitos compreendem:

  • definição dos critérios usados na identificação de não conformidades;

  • elaboração de ações preventivas;

  • tratamento das não conformidades;

  • adoção de uma rotina de melhoria contínua na gestão de ativos.

Quais benefícios ela proporciona para as empresas?

A gestão de ativos, aliada à certificação ISO 55.000 proporciona diversas vantagens para as empresas, entre as quais podemos citar:

  • melhoria no retorno sobre o investimento (ROI), redução de custos e preservação dos valores dos ativos — fatores que levam a uma melhoria no desempenho financeiro empresarial;

  • definição de critérios e métodos claros e precisos para o processo de tomada de decisão e definição de prioridades;

  • aumento da qualidade dos produtos e serviços oferecidos;

  • transparência na demonstração do cumprimento dos requisitos, normas e regimentos internos;

  • melhoria na imagem da empresa no mercado, decorrente da satisfação dos clientes e das partes interessadas;

  • crescimento sustentável das operações, alcançado por meio de uma gestão de custos eficaz;

  • aumento da eficiência nos processos, por meio da avaliação, correção e melhoria dos métodos de trabalho.

Como se pode ver, a certificação ISO 55.000 envolve diversas etapas, que promovem mudanças e melhorias na forma como as operações são acompanhadas. Tudo isso começa na implementação de uma gestão e um sistema de ativos — dois aspectos básicos para o atendimento dos requisitos da norma.

O que achou deste artigo? Quer acompanhar outros conteúdos e novidades que nós trazemos? Então siga nossos perfis nas redes sociais (Facebook, Google Plus e LinkedIn) e fique por dentro de tudo!

 

Sobre o autor

Deixar comentário.

Share This