Como controlar a preventiva de veículos?
ARTIGOS Frota Manutenção Preventiva

Como controlar a preventiva de veículos?

A manutenção preventiva é um assunto sempre celebrado, uma vez que os seus benefícios são muitos e indiscutíveis. Quando associada à frota, além de verificarmos os importantes índices de confiabilidade, disponibilidade e vida útil, a segurança de quem vai usar os veículos e o respeito com o meio ambiente são outros assuntos que devem ser levados em consideração.

Sabemos que o mais comum, infelizmente, é que se entenda a manutenção preventiva como gasto desnecessário de dinheiro, como prejuízo. No entanto, se realizados de forma sistemática e responsável, os cuidados permanentes com a frota trarão facilidades reais na conservação de cada carro da empresa e informações suficientes para a boa gestão dos ativos, incluindo as decisões financeiras. As manutenções preventiva e preditiva significam, na verdade, maior economia e menos perdas durante os processos de produção.

Alguns itens devem ser especialmente observados. Anote:

    1. Pneus

Economia e segurança. Somente com o acompanhamento adequado será possível saber qual é o momento certo para trocar os pneus, evitando gastos antes da hora, entregas e viagens em atraso, acidentes por falhas evitáveis, etc. 

    2. Combustível 

Um erro bastante comum, na gestão de frota, é trabalhar com uma média padrão de consumo de combustível. Cada veículo tem uma média específica de gasto uma vez que, vários fatores influenciam nesse resultado. Inclusive, é possível, a partir do gráfico de consumo, verificar se há alterações muito expressivas de um determinado tempo para outro e fazer leituras sobre a situação mecânica do veículo.  

    3. Motor regulado e bateria carregada e em boas condições

O consumo e a durabilidade do motor dependem diretamente da sua regulagem. Inclusive, a poluição emitida pelos veículos, em grande parte, se deve à falta de acompanhamento do motor e bateria. Importante destacar que, no que se refere à bateria, corre-se ainda o risco de desgastes irreversíveis de componentes do sistema elétrico do veículo.

    4. Plano de manutenção estabelecido pelo fabricante

Todos os veículos saem de fábrica com um manual de instruções. Ali estão contidos os procedimentos preventivos mais importantes a serem realizados, com foco na preservação e confiabilidade dos carros. 

Destacamos algumas dúvidas frequentes, cujas respostas (parâmetros) mais confiáveis poderão ser lidas no manual:

  • Nível do fluido do radiador e lubrificantes em geral;
  • Carga recomendada;
  • Limpador de para-brisa e palhetas;
  • Luz de ré e outras luzes externas;
  • Pneus;
  • Alinhamento e balanceamento;
  • Pastilhas de freios;
  • Sinto de segurança;
  • Extintor de incêndio;
  • Suspensão;
  • Embreagem.

    5. Rotas e estradas utilizadas

Cada rota é uma, apresentando infinitas possibilidades de desgastes. Aqui devem ser considerados os quilômetros rodados, as condições das estradas e o histórico de cada veículo. 

    6. Veículos diferentes, gastos diferentes

Tente gerenciar os veículos por agrupamentos: marca, modelo, ano de fabricação, rotas mais frequentes…. Assim é possível cadastrar uma série de prováveis problemas que acometerão cada grupo, norteando a manutenção preventiva.

    7. Executar ações de manutenção, sem consultar o histórico dos equipamentos.

E quando os gastos superam o programado? Todos sabemos que isso acontece frequentemente e é um tormento para os envolvidos. Um dos possíveis motivos para essa recorrência é a falta de planejamento, a partir dos dados computados. Há quem não gere esses dados e há quem gere, sem jamais usá-los na rotina. Consultando os históricos, fica mais fácil detectar sintomas, as suas possíveis causas e evitar complicações.

    8. Documentação, incluindo controle de multas.

Nunca relaxe com relação à documentação do carro, incluindo o pagamento das multas e controle dos pontos perdidos, na (s) carteira (s) do (s) condutor (es). Esquecimentos dessa natureza podem trazer grandes prejuízos diretos ou indiretos.  

Os argumentos de que manutenção preventiva de veículos é um investimento e não um gasto desnecessário são intermináveis. O foco desse artigo foi o de apresentar alguns itens que merecem atenção quando o assunto for a melhor forma de se cuidar de uma frota: respeitando as características e a rotina, de cada grupo de veículos. 

Sobre o autor

Engeman

Engeman

Deixar comentário.

Share This