Entendendo o WCM (manutenção classe mundial)
ARTIGOS

Entendendo o WCM (manutenção classe mundial)

Engeman
Escrito por Engeman

Afinal, o que é World Class Maintenance ou WCM? Traduzindo para o português, a Manutenção Classe Mundial é a soma de vários conceitos a princípios e técnicas de liderança aplicados em uma determinada empresa. A correta aplicação do WCM depende da ligação entre os diversos setores envolvidos no processo de manutenção (Estoque, Produção, Compras, Mão de Obra, Qualidade e Gerência).

O WCM é sustentado por dez pilares técnicos, listados abaixo:

  1. Produtividade: associado diretamente à disponibilidade do equipamento. Isso porque quanto maior a disponibilidade, maior a produtividade;

  2. Custo: a manutenção é um investimento que reduz custos. Esse pilar é sustentado em uma técnica de 7 passos, que possibilita a identificação de cada um dos custos com desperdícios e perdas. Sua adoção permite estipular de modo racional em quais desperdícios focar, além de dividir custos de forma eficiente, objetivando um aperfeiçoamento do contexto operacional;

  3. Moral: nunca deixe de investir na equipe de manutenção, seja própria ou terceirizada. É necessário também educar, ajudar e treinar os colaboradores para que responsabilizem a si mesmos e aos colegas na implantação e manutenção dos pilares do WCM;

  4. Confiabilidade: é a garantia de disponibilidade do equipamento para a produção. A manutenção precisa ser centrada na confiabilidade;

  5. Qualidade: quanto mais confiável o maquinário for, melhor será a qualidade do produto. Aqui há ainda a busca por zero defeitos, zero desperdícios, zero resíduos e zero falhas. Isso significa qualidade total nas operações, pois quando isso ocorre, o custo de manutenção é minimizado;

  6. SSMA: a Segurança, Saúde e Meio Ambiente impactam diretamente em todos os pilares. O foco em segurança previne acidentes, incorporando atitudes e comportamentos seguros à cultura organizacional. O foco em meio ambiente é para diminuir e controlar o impacto ambiental das operações empresariais.

  7. Estoque: é necessário um bom controle de peças, realizando inventários periodicamente. A metodologia ainda pode priorizar a busca por inventário zero visando eliminar ou reduzir custos com armazenamento, além da maximização do manuseio de produtos;

  8. Flexibilidade: capacidade de executar serviços nos mais diversos horários e dias. É importante também iniciar novos equipamentos, ou produtos, para auxiliar na competitividade, bem como na minimização do tempo do projeto e dos custos.

  9. Pontualidade: sempre entregar os serviços no prazo combinado. Isso está ligado à busca de 100% da satisfação do cliente;

  10. Liderança e Gerenciamento: bons líderes vão garantir que todos estes pilares sejam bem executados. Além disso, é importante observar os 10 pilares gerenciais do WCM, sobre os quais vamos falar adiante.

Antes de iniciar o WCM, é necessário que a organização tenha um certo nível de maturidade, que será alcançado naturalmente aplicando os conceitos mais básicos de manutenção, planejamento de preventivas, TPM (Manutenção Produtiva Total) e outros. A informatização do processo é primordial para chegar até esse ponto, pois possibilita acesso a históricos de manutenção, extração de relatórios diversos, identificação dos gargalos e facilita a tomada de decisões dos gestores.

Para que seja possível alcançar os resultados desejados com o WCM, os gestores devem encarar esse processo como uma ferramenta que gera resultados. Assim, podemos utilizar esse conceito para transformar a manutenção em uma forma contínua de melhoria focada nos objetivos da empresa.

Quais são os 10 pilares gerenciais do WCM?

Os 10 pilares técnicos sustentam em conjunto a continuidade do WCM, porém, a ausência de um não invalida os demais. Os 10 pilares gerenciais são como premissas para qualquer coisa a ser feita no âmbito organizacional.

Desse modo, um bom planejamento supõe, ao menos, os 10 pilares gerenciais presentes. Isso porque, em qualquer projeto, há a possibilidade de ocorrerem falhas; contudo, em um projeto com a ausência de qualquer um dos 10 itens gerenciais, a falha é iminente e quase certa.

Portanto, é necessário conhecer bem quais são eles e saber como afetam um projeto de manutenção. Veja abaixo a nossa listagem:

  1. Compromisso e Responsabilidade de Gestão: a gestão precisa estar compromissada com os pilares do WCM, pois os gestores servirão como exemplos para os demais, além de disseminarem os conceitos. Sem a ajuda dos líderes, dificilmente você conseguirá levar adiante o WCM;

  2. Clareza de Objetivos: os propósitos devem estar claros. Geralmente, o WCM é aplicado para aumentar a transparência das ações, otimizar a produtividade e aprimorar a comunicação entre as áreas. Isso gera maior produtividade, qualidade e sustentabilidade para a manutenção e empresa;

  3. Mapa de Rotas para WCM: definição de rotas de manutenção para o processo de manutenção autônoma;

  4. Direcionamento de Pessoal Altamente Qualificado para Áreas Modelos: é vital direcionar pessoal qualificado para um setor específico. Nele, os pilares do WCM serão aplicados primeiramente, de modo que ele sirva de exemplo para os demais departamentos;

  5. Compromisso da Organização: a organização precisa se compromissar com a implantação dos 10 princípios, fornecendo o suporte necessário para isso;

  6. Competência da Empresa para Aperfeiçoamento: a empresa deve buscar o aperfeiçoamento contínuo, além da padronização e da aplicação das técnicas mais apropriadas para os diferentes erros;

  7. Tempo e Orçamento: é preciso planejar e sincronizar corretamente tempo e orçamento com as necessidades do projeto;

  8. Grau de Detalhe: os detalhes são vitais quando a indústria quer entender melhor sua estrutura de perdas e outras nuances operacionais;

  9. Grau de Expansão: para gerar um impacto real, vários projetos são necessários. Para isso, é necessário criar as áreas modelos, que serão usadas como ilhas de excelência. Os projetos precisam ser expandidos para máquinas que têm grande impacto na performance empresarial;

  10. Motivação dos Operadores: é importante focar em processos de motivação dos operadores e demais participantes para que mantenham altos níveis de excelência na execução de suas atividades. Para isso, é vital investir em formação, treinamento e desenvolvimento profissional.

Como eles podem ser aplicados na empresa?

Para que eles possam ser aplicados na sua empresa, existem dois fatores que possuem vital importância: os treinamentos e a preparação da própria organização.

O primeiro item diz respeito à implantação de programas de treinamento voltados a disseminar os pilares do WCM na corporação. Para isso, é preciso fornecer meios para que os colaboradores consigam aprender e incorporar à cultura da empresa os princípios apontados, passando a cobrar dos colegas a execução deles.

É essencial entender que competência não é um estado imóvel, tanto para pessoas quanto para grupos e organizações. Eles não são já qualificados, mas qualificantes, pois estão sempre em um processo dinâmico de crescimento e aperfeiçoamento.

É indicado que a organização comece a adaptar seus processos, passando a adotar estratégias pontuais inicialmente para depois expandir o WCM para todos os setores.

Por exemplo, adotando uma área modelo como ponto de partida, será possível testar e realizar modificações necessárias nos pilares sem impactar toda a empresa. Com os resultados, basta fazer ajustes e começar a disseminar as práticas mais efetivas para os demais departamentos.

Vale destacar que a cultura organizacional é a chave para o WCM. A mudança de cultura é essencial para a execução de cada um dos 10 pilares gerenciais.

A adoção de um software de automação também ajuda no processo de implantação dessa metodologia, facilitando o processo de controle e manutenção. A tecnologia (hardwares de automação e telemetria, softwares de manutenção etc.) é a mais importante ferramenta para o desenvolvimento do WCM.

Qual a importância deles para o sucesso da manutenção?

O objetivo do método é focado na elevação da qualidade, produtividade e sustentabilidade. Em conjunto, todos os pilares técnicos apontados colaboram para se alcançar esses 3 pontos e, desse modo, auxiliar no sucesso da manutenção.

Separadamente, os itens 1, 2, 3, 4 e 7 estão essencialmente vinculados à produtividade, pois fornecem dinâmica e eficácia aos trabalhos do cotidiano. Já o item 6 está ligado principalmente à sustentabilidade, pois insere o trabalho da organização na vida das pessoas que atuam, ou não, nela e dão percepção de seriedade ao mercado.

Os pontos 5 e 9 asseguram a qualidade geral do método e das atitudes/ações tomadas com métricas e metas corretamente estipuladas. Isso, é claro, desde que os pilares gerenciais sejam seguidos adequadamente pela gestão (pilar 10).

Como visto nas informações acima, implantar essa metodologia na gestão de manutenção é importante para quem deseja elevar seus níveis de qualidade e eficácia, visando obter melhores resultados. Para isso, é importante integrá-la na sua gestão estratégica de manutenção também, para que possa ser alinhada às principais ações e processos que envolvem essa área.

Agora que você já conhece sobre o WCM, que tal aprender como estruturar e aplicar o PCM (Planejamento e Controle de Manutenção)? Preparamos um e-book especial com os principais pontos dessa metodologia para você. Confira!

 

Sobre o autor

Engeman

Engeman

Deixar comentário.

Share This