Indicadores de Manutenção
ARTIGOS Manutenção

Indicadores de Manutenção

Escrito por Engeman

A obtenção de resultados em uma empresa só é possível quando todos trabalham em conjunto. Ter uma equipe bem preparada, se relacionar bem com os clientes e fornecedores e acompanhar as mudanças do mercado são características essenciais de um supervisor de manutenção de sucesso.

Além de todos esses fatores, é preciso conhecer muito bem todos os setores e as atividades de sua gestão.

Como a manutenção é uma atividade presente em vários negócios e indústrias, não existe um passo a passo universal. De qualquer forma, você deve entender muito bem as relações entre os seus funcionários e equipamentos.

O uso de indicadores de manutenção é a maneira ideal para encontrar gargalos, solucionar problemas e propor novas medidas. Lembre-se de que ocorre redução significativa dos custos quando eles são bem utilizados.

Por isso, este post vai tirar todas as suas dúvidas sobre o assunto. Vamos explicar a importância desse tema e como ele influencia em sua performance. Mostraremos também os indicadores que não podem faltar em uma gestão de sucesso. Confira a seguir.

O que são os indicadores de manutenção?

Eles são instrumentos de gerenciamento, que medem os resultados de uma empresa. Dessa forma, é possível acompanhar tudo o que acontece em sua gestão. Saiba também que os indicadores de desempenho mostram o quão positiva ou negativa está sendo cada atividade.

De uma forma bem simples: eles geram valores numéricos, que ajudam mensurar a efetividade dos trabalhos.

Por que eles são tão importantes?

No caso da manutenção, os indicadores de manutenção fornecem dados significativos, como:

  • distribuição das atividades por tipo de manutenção corretiva, preventiva ou preditiva;

  • estoques de materiais e política dos sobressalentes;

  • planejamento da manutenção;

  • treinamento e capacitação de funcionários;

  • resultados operacionais;

  • paradas de manutenção.

Todas essas informações otimizam a análise da situação e fazem com que você ganhe tempo. Ademais, também é possível economizar dinheiro, já que você evita erros e decisões precipitadas.

Como escolhê-los?

Escolher os indicadores de desempenho corretos é uma tarefa difícil. Cada gestão tem as suas particularidades, certo? Pois então, uma estratégia que funciona na empresa vizinha pode não apresentar bons resultados para você.

Por isso, é fundamental que você analise muito bem os insumos disponíveis e quais são os objetivos de sua organização.

Um indicador de qualidade precisa ter:

  • objetividade e clareza para transmitir informações, não sendo complexo ou difícil de ser analisado;

  • resultados reais, que condizem com as atividades da empresa;

  • precisão para evitar duplicidade de dados;

  • representatividade para mostrar algo palpável e importante para o negócio;

  • unicidade, ou seja, ter uma regra ou medida estabelecida;

  • ter alcance e sinalizar as causas dos problemas;

  • desafios que motivam o engajamento da equipe.

Ao utilizar esses requisitos, você terá facilidade para encontrar um padrão em suas decisões, sempre visando à melhoria contínua dos processos de manutenção.

Em quais departamentos devo aplicá-los?

Após conhecer as vantagens dos indicadores de manutenção, você deve estar se perguntando quais são as melhores áreas para introduzi-los, não é mesmo? Na verdade, não existe uma regra para isso. Você precisa analisar as atividades desempenhadas em cada departamento, a fim de encontrar a melhor solução.

Existem também conselhos que vão ajudá-lo em sua caminhada. Uma boa estratégia é distingui-los por áreas, fornecendo apenas informações que são relevantes.

O setor de manutenção, por exemplo, não precisa saber qual foi o número de acessos no site da empresa, assim como o número de peças trocadas não é algo útil para a área de marketing.

Nessas horas, o excesso de dados pode atrapalhar o entendimento dos funcionários. Então fique atento.

Quais são os principais indicadores de desempenho?

Agora, chegou o momento para você descobrir os exemplos mais importantes para a manutenção. Veja-os abaixo:

Disponibilidade

A automação derrubou as barreiras produtivas. Hoje em dia, o setor de uma empresa é todo interligado e monitorado em tempo real. Então, todos os equipamentos são necessários para o funcionamento de todo o sistema em muitos casos.

A disponibilidade revela a probabilidade de uma máquina estar acessível e funcional em um dado momento. Ela garante o atendimento das metas produtivas e ajuda no acompanhamento de outros indicadores.

Custo de manutenção

A questão financeira também é muito importante para qualquer tipo de negócio. As despesas relacionadas à manutenção não podem extrapolar os valores estipulados pelo orçamento empresarial. Geralmente, o custo de manutenção é a somatória básica dos recursos materiais, sobressalentes, pagamento de funcionários e as despesas de intervenção.

Quando a gestão tem um conhecimento mais aprofundado e está bem treinada, também é possível tratar dos custos de oportunidade, perdas produtivas e custos próprios.

Porém, não apenas utilize esse indicador de desempenho para analisar a sua performance. Basear-se unicamente em valores financeiros nem sempre é uma boa ideia, portanto, faça uma análise global antes de tomar uma atitude.

Mean Time Between Failure – MTBF

Problemas e falhas acontecem em empresas muito bem preparadas. Por isso, é essencial que você saiba com qual frequência eles acontecem. Com essa informação em mãos, você cria um planejamento de manutenções preventivas, corretivas e preditivas.

O MTBF é o indicador de desempenho representado pelo tempo médio entre a ocorrência de uma falha e a próxima. Entenda melhor com o exemplo a seguir:

Uma máquina trabalha em 3 turnos, totalizando 24 horas de disponibilidade (1.440 minutos). Durante esse tempo, acontecem 4 falhas, com um tempo total de 120 minutos parados. Então,

MTTR = (tempo de trabalho – tempo paralisado) / número de falhas

MTTR = (1440 – 120) / 4 = 330 minutos

Conclui-se, então, que uma falha acontece a cada 330 minutos.

Mean Time to Repair – MTTR

O MTTR é muito importante no dia a dia de trabalho de um supervisor de manutenção. Isso acontece porque ele aponta o tempo que a equipe demanda para reparar uma falha. Além disso, o MTTR compreende todas as atividades envolvidas no reparo, sejam elas da equipe de compras ou do laboratório.

Saiba também que esse indicador ajuda na gestão do estoque, já que indica a quantidade de peças de reposição necessárias para manter o fluxo de produção contínuo. O planejamento de mão de obra também é facilitado, pois é possível descobrir o número ideal de funcionários disponíveis nas execuções programadas.

Uma consequência direta da aplicação do MTTR está relacionada à diminuição das paradas produtivas e dos custos de manutenção.

Confiabilidade

Os sistemas industriais, geralmente, são grandes e complexos. Dessa maneira, os funcionários devem ter segurança para trabalhar, já que o menor descuido pode provocar acidentes e perdas financeiras.

A confiabilidade representa a probabilidade de um equipamento funcionar corretamente durante um determinado período de tempo, em condições normais. Quando esse indicador é baixo, a produtividade do negócio é colocada em risco. Portanto, você deve utilizá-lo com muita cautela.

Ele também dá o grau de confiabilidade de cada máquina, auxiliando o gerenciamento das folgas dos funcionários e a realização de manutenções emergenciais.

Benchmarking

As empresas que detêm as melhores práticas voltadas à manutenção, se bem geridas, devem proporcionar redução significativa dos seus custos de produção ou serviços. Para isso a manutenção deve considerar a importância do seu papel; da necessidade que a organização tem dela e o desempenho dessa atividade em seus concorrentes.

É importante buscar informações sobre o que fazem empresas de sucesso e procurar encontrar o que se tem de melhor; e isso é possível por meio do benchmarking, que nada mais é do que um processo de melhoria de performance pela busca, compreensão e adoção de práticas que são encontradas dentro e fora das organizações.

Antes de aplicar o benchmarking, você deve ter critérios bem consolidados, a fim de extrair apenas aquilo que é favorável para o seu negócio.

Existem, de fato, várias questões que influenciam na rotina de trabalho de um supervisor de manutenção. De qualquer forma, é necessário ficar antenado às novidades do mercado e aplicar tecnologias e estratégias que representam aquilo que há de mais moderno. .

Nessas horas, os indicadores de manutenção ampliam o seu campo de visão, fornecendo informações relevantes, em tempo real. Por mais que sejam representados por simples números, eles facilitam a compreensão das relações em sua empresa e ajudam na redução de custos e no aumento da segurança no trabalho.

Por isso, faça uma análise criteriosa para encontrar aqueles que mais se adéquam ao seu perfil e descubra boas oportunidades para provar o valor na instituição.

Agora, assine a nossa newsletter e fique por dentro dos conteúdos mais relevantes sobre a gestão de manutenção e as suas tecnologias!

Sobre o autor

Engeman

Deixar comentário.

Share This