Kaizen
Sin categorizar

Kaizen

Engeman
Escrito por Engeman

O nosso tema de hoje é a filosofia Kaizen, que em tradução livre do japonês para o português significa mudança para melhor.

Trata-se de uma série de práticas, com foco na melhoria contínua dos processos de manufatura, engenharia, gestão de negócios, dentre outros processos e ramos de atividade.

Quando usado no sentido de negócio e aplicado ao local de trabalho, o Kaizen refere-se às atividades que resultem no aprimoramento dos funcionários, desde o CEO até os trabalhadores da linha de montagem. Também se aplica aos processos como compra e logística, que cruzam fronteiras organizacionais da cadeia de suprimentos. Eliminar o desperdício é o objetivo do Kaizen, a partir da observação e correção do modo de trabalhar.

O método foi implementado, pela primeira vez, em várias empresas japonesas, depois da Segunda Guerra Mundial. Desde então, se espalhou por todo o mundo e agora já pode ser encontrado em ambientes além de negócio e espaços de produção.

O conceito de Kaizen tornou-se tão presente no mundo corporativo que, dificilmente, pode ser considerado “só o clichê da vez”. Acredite! Ainda há quem pense assim. Boa parte das empresas e seus altos executivos não sabem ao certo o significado de Kaizen e dão a ele o simplório objetivo de implantar projetos que utilizem métodos Lean, que também se referem às práticas do não-desperdício. Mas o Kaizen não é um conjunto de projetos ou eventos especiais, é parte integrante do dia a dia da organização, deve e precisa ser tratado como filosofia organizacional, e não apenas como um simples método ou ferramenta de redução de custos. É fato que após semanas de implantação, mudanças estratégicas serão desencadeadas, por consequência. Mas não só em ações e sim no modo de ver e entender o negócio.

O Kaizen bem implantado busca, continuamente, prevenir ou impedir que o inesperado aconteça, reagindo aos defeitos, falhas, acidentes ou desvios de processos que acontecem na rotina, focando em conduzir o sistema sempre de volta ao padrão. Grupos de trabalho vão selecionando os problemas mais frequentes ou mais graves e, mediante “análises de causas-raiz”, previnem que os erros se repitam.

Dessa forma, o Kaizen não tem apenas o propósito de manter padrões, mas também de elevar o nível dos desafios, propondo que cada processo seja sempre realizado em sua plenitude e diariamente melhorado.

Sobre o autor

Engeman

Engeman

Deixar comentário.

Share This