O controle da pressão dos pneus
Frota

O controle da pressão dos pneus

Engeman
Escrito por Engeman

Nas empresas do segmento de transporte os pneus são controlados de forma diferenciada. Primeiro por serem essenciais para o transporte com segurança e, também, por possuírem valores consideráveis, ficando entre os cinco maiores custos da organização.

Numa gestão de frota é comum a reposição de cerca de 2% dos pneus operacionais, por mês, por isso, o controle maximiza a vida útil desses insumos nos veículos e, consequentemente, reduz o custo operacional.

As condições das estradas, preços de pneus, peças, manutenção e seguros são os grandes vilões do ramo de frota. Mesmo em pistas, com condições ruins de rodagem, manter a pressão correta nos pneus é importante para manter sua vida útil, portanto, calibre semanalmente de acordo com a indicação do manual do fabricante.

A pressão incorreta pode causar desgastes anormais e excessivos, sobreaquecer o pneu, aumentar o consumo de combustível e/ou até mesmo um estouro, colocando em risco a segurança do condutor e dos que estejam próximos. Importante que se ressalte que a pressão só deve ser verificada com os pneus frios uma vez que, mesmo que rode pouco mais de um quilômetro, a pressão do pneu aumenta, originando uma leitura errada.

Problemas como perda de pressão contínua, indicam possíveis desajustes no conjunto do pneu ou roda. Se isso acontecer, faça a manutenção imediatamente. Se a pressão estiver baixa, verifique as causas mais comuns como válvula sem tampa, núcleo da válvula emperrado, válvula curta ou descentralizada, câmara de ar dilatada, protetor danificado ou mal posicionado, roda oxidada ou trincada, mau posicionamento da válvula na montagem dupla e a prática da “sangria”.

Já a pressão alta, diferentemente do que muitos pensam por aí, não proporciona mais resistência e nem mesmo maior capacidade de carga. Ao contrário, a pressão alta ocasiona uma série de problemas pela tensão excessiva na carcaça do pneu, deixando-a endurecida e fazendo com que ela perca a capacidade de flexão e de amortecer os impactos, causando danos ao pneu e ao conjunto, com muito mais facilidade.

A manutenção preventiva tem um custo considerável, porém a falta de manutenção é muito mais onerosa. Por isso é que a operação mais importante e econômica de um bom programa de manutenção de pneus é a revisão constante das pressões de inflação. Use uma ferramenta como o Engeman® para fazer essas aferições e colete sempre a quilometragem semanal de cada veículo para poder fazer um controle mais eficiente dos seus pneus.

Sobre o autor

Engeman

Engeman

Deixar comentário.

Share This