Redução nos Custos de Estoque
Gestão Manutenção

Redução nos Custos de Estoque

Todos os anos, milhares de empresas acumulam prejuízos decorrentes da gestão deficiente de estoques. No que tange a estoques de manutenção, este fato costuma ser ainda mais grave, pois a racionalização do consumo de materiais depende diretamente do planejamento, controle e gestão da informação.

Quem não possui planejamento e informação sofre mais com os prejuízos em cascata provenientes da manutenção corretiva não planejada, que além de trazer transtornos como: parada de produção, faturamento cessante, atrasos na entrega aos clientes e riscos aos manutentores, ainda gera enormes custos ao setor de suprimentos.

Uma importante irracionalidade evidenciada neste contexto é a necessidade de se ter um estoque sempre preparado para atender à grande demanda das falhas, o que obriga a empresa a abarrotar suas prateleiras com todo tipo de materiais de consumo e sobressalentes. Naturalmente, o resultado são altas cifras financeiras impedidas de circulação, sem contar os problemas com espaço, necessidades especiais de armazenamento e perecibilidade de alguns itens.

Como a manutenção corretiva não planejada está, por natureza, associada ao termo urgência , o jargão a pressa é inimiga da perfeição se encaixa bem no contexto suprimentos. A necessidade de aquisição de itens de urgência compromete a qualidade da compra, tornando deficiente a cotação, análise de fornecedor e qualidade do material, além de muitas das vezes, inviabilizar a obtenção de descontos e melhores condições de pagamento, comprometendo o fluxo de caixa com constantes gastos inesperados.Por outro lado, empresas que aderem às boas práticas de manutenção – diga-se a aplicação de engenharia de manutenção com atividades preventivas e preditivas – conseguem um controle bastante satisfatório dos seus estoques.

A informatização da manutenção permite uma visão ampla das necessidades, tanto de quantidade de material estocado quanto de previsão da demanda futura. Através de um banco de dados estruturado, é possível tirar proveito de cada etapa do fluxo de informação e planejamento. A primeira etapa da informatização da manutenção é o cadastramento das aplicações ou equipamentos alvos de manutenção. Neste momento, também são mapeados os componentes e subcomponentes, tornando-se possível a realização de estudo de tudo que compõe suas máquinas, assim como a definição de pontos críticos e de acordo com suas práticas de manutenção, racionalizar a quantidade de materiais e sobressalentes necessários para compor o estoque inicial. 

A segunda etapa do processo consiste em planejar a manutenção, com a criação de planos preventivos e/ou preditivos, cuja aplicação vai de acordo com a necessidade e relação custo-benefício. As manutenções preventivassão uma grande aliada dos suprimentos na redução das desagradáveis corretivas não planejadas. Com o tempo, elas ganham uma margem de segurança bastante satisfatória na redução do número de falhas nos equipamentos. Logicamente, isso alivia a incidência de emergências, assim como os transtornos causados pela urgência na aquisição de sobressalentes. Um software de manutenção ainda gera instantaneamente cronogramas e relatórios estatísticos que permitem prever por longos períodos a demanda para a aquisição de materiais. 

No caso das manutenções preditivas, as empresas que tiverem condições de aplicar tal técnica, lograrão resultados ainda mais eficientes no tocante à redução de itens em estoques. A vantagem da manutenção preditiva em relação à preventiva é que ela permite identificar e diagnosticar a ação de fatores que encurtam a vida de uma peça ou componente e provocam a falha antes do período estatístico da preventiva. Cria-se assim uma maior margem de segurança contra as paradas e através de um acompanhamento rotineiro é possível estabelecer com grande precisão a vida útil de uma peça. Isso, para estoques, significa comprar apenas o necessário na data planejada. Um software de manutenção permite o lançamento destas análises e gera gráficos e relatórios contendo tendências que datam previsões para as intervenções. 

Outra fonte de informação importantíssima é a análise de falhas (efeito, causa e ação). Softwares que possuem esta funcionalidade permitem guardar e analisar informações sobre as incidências de falhas de um determinado componente, assim como fazer estudo de caso para avaliação de marca, fornecimento e custo-benefício. 

O resultado de todas estas técnicas aliadas a um software de manutenção é a redução em múltiplos dos itens em estoque.

Deixar comentário.

Share This