Descubra como é a relação entre a Internet das Coisas e a gestão da manutenção
ARTIGOS

Descubra como é a relação entre a Internet das Coisas e a gestão da manutenção

A Internet das Coisas (Internet of Things) saiu do status de “tecnologia futurista” para assumir a faceta de um dos pilares da transformação digital que o mundo corporativo está vivenciando. Tanto que, de acordo com a consultoria IDC, as principais tecnologias que a compõem movimentaram mais de 1,7 bilhão de dólares no Brasil em 2016.

Cada vez mais, sua aplicabilidade ganha versões diferentes daquelas que estamos acostumados a acompanhar na mídia. Tanto que há inclusive esforços do governo para potencializá-la no país — o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) já atua num plano para fomentar a criação de soluções que, certamente, serão replicadas na iniciativa privada.

Agora, você já parou para refletir sobre como esse conceito pode ter uma relação muito estreita com a gestão da manutenção? Já imaginou que o fato de termos mais e mais objetos conectados pode favorecer o setor como nunca antes?

Neste artigo, vamos conversar sobre o que é a Internet das Coisas, como ela vem crescendo em todos os âmbitos do mundo corporativo, além de também mostrar que esse movimento tecnológico tem relação com os processos de gestão de manutenção — como ela impacta positivamente a estratégia nas organizações — de uma maneira bem fácil de entender.

Continue lendo para saber mais!

O conceito de Internet das Coisas

Para começar, vamos rememorar o conceito de Internet das Coisas. Do inglês Internet of Things, ou simplesmente IoT, trata-se de um inovador conceito de computação que explica a conexão dos mais variados objetos a web ou a outros tipos de tecnologias móveis de comunicação de dados.

Muito além de laptops, smartphones, tablets e tvs, com a Internet das Coisas, objetos como geladeiras, portões eletrônicos, sistemas de vigilância, etc. (objetos físicos no geral, daí vem o nome “coisas”, qualquer coisa que possua um sensor) podem ser conectados por meio de aplicativos e sensores cada vez mais sofisticados.

Hoje, o ambiente físico de uma residência ou empresa pode ser controlado quase totalmente de forma remota, dentro do conceito de IoT, utilizando sensores e outras aplicações que permitem coletar informações e assim monitorá-las, controlá-las ou coordená-las por meio de uma rede de dados ou da Internet.

Para se ter uma ideia da dimensão da IoT, de acordo com a Hewlett Packard Enterprise, 85% das organizações de todo o mundo devem investir nela até o final de 2019. No Brasil, cerca de 62% dos executivos de tecnologia consultados na pesquisa acreditam que o conceito deve ajudar a transformar suas operações e 60% disseram estar certos de que ele vai influenciar positivamente os processos de segurança nas empresas.

Como a Internet das Coisas pode otimizar os processos de gestão da manutenção

Naturalmente, visando obter as vantagens competitivas de um processo de gestão da manutenção bem aplicado (aumentar confiabilidade, melhora da qualidade, reduzir custos, aumentar vida útil, obter segurança), é importante que os gestores da área acompanhem a evolução da tecnologia.

E é aí que começamos a vislumbrar a relação entre a gestão da manutenção e a Internet das Coisas. Depois de adotar amplamente a computação em nuvem (cloud computing) para escalar a infraestrutura, cortar gastos e ter mais mobilidade na operação, cada dia mais, empresas e profissionais dedicados ao tema passam a incorporar equipamentos, aplicações e serviços de IoT no seu dia a dia.

As vantagens de utilizar Internet das Coisas na gestão da manutenção dentro das empresas

E as vantagens são muitas. Por meio da coleta instantânea de informações sobre os equipamentos, por exemplo, é possível antecipar prováveis problemas, melhorar a tomada de decisões e certamente tornar os resultados da gestão da manutenção ainda melhores.

A Internet das Coisas possibilita que os gestores de manutenção tenham mais dados com os quais trabalhar, e, mais que isso, que consigam antecipar com bastante velocidade e efetividade fatores como desgaste de componentes, eventos, coleta de horas trabalhadas, itens produzidos, movimentação de itens, entre outras diversas informações úteis na estratégia.

Assim, as devidas tratativas ocorrem de forma mais rápida e com o menor impacto possível nos demais departamentos da empresa. Sem a necessidade da intervenção humana, o número de erros e retrabalhos cai significativamente, ao mesmo tempo em que se garante que a automatização das atividades de análise e utilização dos dados mantenha a qualidade parametrizada como ideal.

Como a Internet das Coisas pode oferecer mais inteligência e agilidade nos processos de gestão da manutenção

Atualmente, devido à instabilidade econômica e à redução dos investimentos em maquinários, a gestão da manutenção se torna ainda mais necessária para garantir o bom funcionamento dos equipamentos e estruturas atuais, para que as empresas estejam preparadas quando a economia reaquecer.

Ao mesmo tempo, há uma expectativa de melhoria na otimização dos processos de gestão e manutenção de ativos como uma alternativa de competitividade, pois o mercado está cada vez mais exigente e pede soluções inovadoras em tempo hábil. E essa expectativa está diretamente relacionada com o avanço das tecnologias que podem ser utilizadas no setor.

Como vimos ao longo do artigo, a Internet das Coisas é um dos grandes trunfos das empresas que querem sair na frente em sua estratégia de gestão da manutenção. Ou seja, por meio dela é possível ganhar tempo, diminuir a coleta manual de dados, potencializar a produtividade dos colaboradores, mensurar os desgastes e o tempo de vida útil das máquinas, entre outros processos.

Obviamente, a Internet das Coisas não funciona sozinha. É preciso armazenar as informações coletadas em diferentes equipamentos. Então, essa relação vai se solidificar nas empresas que fizerem parcerias e integrações entre sistemas de gestão de manutenção e sistemas de monitoramento dos equipamentos e estruturas. E, como eles sempre vão depender da conexão da empresa à internet, essa relação tende a seguir a tendência global de inserção de mais serviços e recursos advindos da computação em nuvem.

E você, já havia pensado em como a Internet das Coisas pode trazer inúmeros benefícios para a gestão da manutenção? O que achou deste artigo? Siga-nos nas redes sociais para não perder nenhum dos nossos conteúdos: Facebook, Google + e LinkedIn!

 

Sobre o autor

Engeman

Engeman

Deixar comentário.

Share This