Os equipamentos críticos e a manutenção
Manutenção

Os equipamentos críticos e a manutenção

Engeman
Escrito por Engeman

Equipamentos críticos sempre dão mais dor de cabeça para os programadores de manutenção. São equipamentos de extrema importância, que, quando parados, geram prejuízos e transtornos, às vezes irreparáveis para as empresas.  E o que se deve fazer para obter segurança e disponibilidade desses ativos?

Esses equipamentos devem ter um controle de manutenção detalhado, que avalie, separadamente, cada componente do ativo, com foco em conseguir obter a maior confiabilidade horizontal e MTBF.

Para conseguir atingir metas de produção ou tempo de trabalho, de cada equipamento, é necessário que se acompanhe o desempenho, a partir da realização de manutenção preventiva e, principalmente, preditiva, com alta frequência, para que o problema possa ser identificado antes mesmo de se manifestar. Para tanto, é importante que o programador de manutenção possua ferramentas que o auxiliem nesse propósito.

Com uma ferramenta especialista em controle de manutenção é possível criar procedimentos preditivos que aumentem a vida útil do equipamento, a partir de um acompanhamento mais preciso e organizado do dia a dia da manutenção. Observem:

1) dados coletados por períodos, horímetro, hodômetro, temperatura, vibração, pressão e diversos tipos de pontos de controle geram os históricos que norteiam as ações que se vai tomar, quando o sistema apontar determinados valores;

2) alarmes ou geração automática de ordens de serviço auxiliam o programador no planejamento, identificando o momento exato que cada serviço deve ser executado.

3) ocorrências nos serviços já realizados, ajudam na identificação de problemas crônicos. Supondo que um determinado rolamento foi trocado três vezes, devido a quebras, em um período de um mês, apesar de constar no manual do fabricante que cada rolamento deveria trabalhar ao menos 15 dias, pode estar dizendo que o problema não está no rolamento. A razão desta manutenção pode está em uma sobrecarga, eixo está mal alinhado…

Destacando o item 3, quando se conhece a rotina do equipamento, é possível buscar a raiz do problema, diminuindo a carga ou alinhando o eixo, ao invés de simplesmente “apagar o fogo”, trocando o rolamento eternamente até que a máquina pare de vez. 

Para identificar e tratar problemas, gerir a manutenção de uma empresa, é fundamental que se tenha um software especialista, capaz de planejar os serviços, realizar análise de falhas, gerar históricos, sinalizar recursos disponíveis, entre outros. 

O Engeman® é um sistema consolidado, com mais de 25 anos de mercado, reconhecido pela flexibilidade e adequação às realidades e portes mais variados de empresas, eficiente no controle de PCM e com grande mobilidade, facilitando o acesso às informações, por meio das plataformas cliente servidor, WEB e dispositivos móveis (smartphones e tablets).

A organização do processo de manutenção é tão fundamental quanto complexa: não há que se trabalhar apenas com coleta de dados, é necessário transformá-los em informações gerenciais confiáveis e aí sim traçar estratégias e metas.

Sobre o autor

Engeman

Engeman

Deixar comentário.

Share This