Engenharia de manutenção na indústria farmacêutica: como reduzir custos?

197952 engenharia de manutencao na industria farmaceutica como reduzir custos 810x539 - Engenharia de manutenção na indústria farmacêutica: como reduzir custos?

O setor de manutenção desempenha um importante papel no sucesso da indústria. Ele é responsável pela continuidade das atividades e pela redução de despesas. Contudo, muitas gestões não utilizam essa área da empresa de maneira correta. Em muitos casos, a manutenção é adotada apenas para solucionar problemas, e não para evitá-los.

A engenharia de manutenção na indústria farmacêutica deve ser aplicada com precisão e planejamento, considerando as exigências dos clientes e os objetivos do negócio. Nessas horas, muitos profissionais têm dificuldades porque não alcançam os números que desejam. A falta de tecnologia e o uso de técnicas obsoletas são as principais causas desse problema.

Assim, é muito importante que você esteja preparado para superar obstáculos e garantir um ritmo elevado de produção. Este post vai ajudá-lo a compreender melhor o assunto, mostrando os pontos mais importantes e como é possível otimizar os investimentos financeiros e provar o seu valor na instituição. Confira a seguir!

Quais são os principais desperdícios que ocorrem nas gestões farmacêuticas?

As indústrias dessa área tiveram um bom desempenho em 2017, crescendo 12,86%. No entanto, esse cenário poderia ser melhor caso a engenharia de manutenção na indústria farmacêutica fosse bem aplicada.

Cada negócio tem as suas peculiaridades, exigindo cuidados únicos. Uma solução eficiente para a sua empresa, pode não ser tão favorável para a concorrência. Apesar disso, certos problemas acontecem em muitas gestões em nosso país.

A execução de serviços sem necessidade é um bom exemplo disso. Essa situação é responsável pelo gasto desnecessário de recursos financeiros e materiais, atrapalhando o desempenho da equipe. Além disso, funcionários podem ser deslocados indevidamente.

O retrabalho é outro ponto muito importante. A falta de planejamento faz com que um serviço demore mais para ser realizado e custe além do necessário. Os equipamentos devem ser utilizados de maneira correta, como as esteiras transportadoras, as estufas para secagem e os granuladores.

Insumos em falta — ou em excesso — também são problemáticos. Imagine que você precisa reparar uma máquina, mas não consegue porque faltam peças no estoque. Isso pode interromper a produção. Similarmente, ter mais materiais do que o necessário exige o aumento da área de armazenagem, demandando investimentos supérfluos na ampliação do espaço físico.

Os desperdícios não param por aí. A gestão ineficiente de pessoas coloca em risco a obtenção de resultados positivos. Uma empresa de sucesso é formada por várias pessoas, com características e talentos diferentes.

É seu dever reconhecê-los e aproveitá-los no planejamento de manutenção. Lembre-se de que conflitos podem surgir entre os funcionários, gerando mais dores de cabeça para você. Trabalhadores que não são engajados não vestem a camisa da empresa e não têm a performance esperada.

Percebe-se, então, que todas essas situações são desfavoráveis à redução de despesas.

Qual é o papel da manutenção preditiva?

Todos os tipos de manutenção podem ser utilizados, desde que aplicados corretamente. A manutenção preditiva é aquela que mais se destaca na hora de gerar resultados positivos. Ela analisa a tendência de falhas e leva o equipamento ao máximo, sem trabalhar com manutenções.

Para que isso aconteça, é preciso realizar alguns procedimentos:

  • acompanhar a variação de temperatura;
  • conhecer as alterações de pressão;
  • estudar as vibrações das máquinas;
  • verificar a contaminação de óleos.

Em outras palavras, essa técnica se baseia no estado real do equipamento, utilizando ultrassons e câmeras termográficas para pesquisar a situação dele. Como consequência disso, você tem informações concretas, que condizem com a situação produtiva. Elas devem ser utilizadas em seu planejamento, a fim de melhorar o desempenho da engenharia de manutenção na indústria farmacêutica.

Apesar desses benefícios, nunca deixe as práticas preventivas e corretivas de lado. Fique atento aos custos de implementação, pois a manutenção periódica requer altos investimentos iniciais e o treinamento da equipe. Portanto, crie um planejamento que equilibre todas as técnicas.

Existem outros processos que ajudam a reduzir custos?

A coleta de dados é uma das melhores maneiras para encontrar gargalos e melhorar o dia a dia de trabalho. Ao tomar essa atitude, você tem informações atualizadas sobre a produção e consegue tomar medidas eficientes. As manutenções acumulativas precisam de coletas constantes, como o tempo diário de atividade de cada máquina.

Existem outros indicadores de desempenho que também não devem ser esquecidos. A disponibilidade de máquinas, o MTBF (tempo médio entre falhas) e o MTTR (tempo médio entre reparos) são os seus principais exemplos. Todas as ocorrências devem ser armazenadas e analisadas.

Um plano emergencial é outra opção. Por mais que você programe um cronograma de manutenções, imprevistos acontecem. Portanto, crie ações que reduzam os impactos dessas situações.

Como um sistema de gerenciamento pode mitigar desperdícios?

Um barco que navega sem destino tem grandes chances de naufragar, não é mesmo? Ademais, a falta de um capitão que planeja a rota e saiba lidar com desafios também é problemática.

Essa comparação pode muito bem ser aplicada na engenharia de manutenção na indústria farmacêutica. Ao fazer a programação correta e planejar as atividades, é possível eliminar os desperdícios. Com isso, você pode determinar a quantidade exata de recursos com antecedência, evitando surpresas. Não se esqueça da possibilidade de dividir os times e planejar paradas e reparos.

Por isso, é essencial utilizar um software para gestão e controle de manutenção. Essa ferramenta tem funções únicas para otimizar a engenharia de manutenção na indústria farmacêutica, como:

  • emissão facilitada de ordens de serviço;
  • módulo mobile;
  • cadastramento melhorado de dados;
  • nivelamento dos recursos disponíveis;
  • análise das perdas de produção.

Com a leitura deste post, você descobriu qual é a importância da engenharia de manutenção na indústria farmacêutica. Existem vários fatores que devem ser considerados, como os tipos de manutenção e as suas aplicações. Além disso, o planejamento das atividades é indispensável para programar o uso de recursos e de funcionários.

Em todas as situações, um software especializado no assunto é uma ferramenta que faz toda a diferença na obtenção de resultados positivos. Além de integrar os setores, ele ajuda na redução de recursos porque você obtém informações em tempo real sobre tudo o que acontece no chão de fábrica. Portanto, trabalhe com um parceiro pronto para oferecer uma solução flexível e eficiente.

E então, gostou do nosso conteúdo? Gostaria de aprender mais sobre os principais assuntos para a engenharia de manutenção na indústria farmacêutica? Basta assinar a nossa newsletter e ficar de olho em nossos lançamentos!

Deixar comentário.

5 − quatro =

Share This