Conheça 4 fatos sobre a internet das coisas

A ascensão da Indústria 4.0, que representa um grande marco. A Internet das Coisas está entre as tecnologias mais aplicadas pelas orgA ascensão da Indústria 4.0, que representa um grande marco. A Internet das Coisas está entre as tecnologias mais aplicadas pelas organizações.anizações.

A transformação digital já é uma realidade nas empresas, especialmente em setores de maior presença da tecnologia. Um bom exemplo disso é a ascensão da Indústria 4.0, que representa um grande marco para toda a nossa sociedade. Nesse sentido, a Internet das Coisas (IoT) está entre as tecnologias mais aplicadas pelas organizações.

Porém, é natural ter dúvidas sobre o funcionamento de um conceito como esse. Afinal, você sabe o que é exatamente a Internet das Coisas? Se está em dúvidas, este post é para você!

Além de mostrarmos alguns fatos que você precisa saber sobre a IoT, falaremos aqui sobre a definição do conceito e suas principais aplicações. Então, vamos lá!

O conceito de Internet das Coisas

O termo Internet of Things se refere à capacidade de um dispositivo de se comunicar com um outro sistema por meio de uma rede sem fio (wireless). Em outras palavras, há entre eles uma troca de dados que pode ser utilizada para diversas finalidades, como mostraremos aqui. O ponto é que, na prática, eles passam a formar uma rede inteligente.

Com dados coletados de diferentes dispositivos, é possível automatizar tanto o monitoramento quanto o controle de diversos atores nessa rede. Por meio dessa conexão, os dispositivos com Internet das Coisas recebem e enviam dados que podem ser integrados a um software — localmente ou na nuvem.

O resultado é uma otimização de processos em um nível jamais visto. Para ter uma visão mais clara de como isso acontece, vamos aos exemplos práticos.

As aplicações da IoT

Em primeiro lugar, tenha em mente que a IoT é uma tecnologia que, assim como os próprios dispositivos móveis (smartphones, por exemplo), deve estar cada vez mais presente em nossas vidas — seja no trabalho, seja nas residências.

Quer saber como? O conceito é bem simples e o limite é, basicamente, a criatividade de quem desenvolve.

Casas inteligentes (smart houses)

Um dos primeiros e mais famosos exemplos de aplicação da Internet das Coisas é a geladeira inteligente. Grosso modo, trata-se de um eletrodoméstico com conexão Wi-Fi. A geladeira se comunica com um aplicativo de smartphone para enviar e receber informações.

E o que ela faz com isso? Para começar, ela identifica determinados itens que estão próximos de acabar e envia uma notificação para o usuário (que pode configurar as preferências). Para ir além, ele pode permitir que a própria geladeira faça automaticamente os pedidos de compra online para o mercado.

Se o leite está acabando, um pedido é feito e a entrega é agendada para o horário que você está em casa. Gostou? Então, imagine as possibilidades de automatização dos outros eletrodomésticos e da iluminação, por exemplo. O potencial é enorme!

Manutenção na Indústria 4.0

Um dos alicerces da Indústria 4.0 é o uso de soluções digitais para otimizar processos e criar formas inovadoras de atuar. Nesse sentido, a manutenção vem assumindo um papel estratégico nas empresas, principalmente com o suporte da IoT na gestão das atividades.

Com sensores inseridos nos equipamentos, por exemplo, é possível estabelecer uma rotina de monitoramento de desempenho. Assim, as anomalias de comportamento podem ser identificadas antes mesmo de uma falha ocorrer. O resultado pode ser um acionamento automático, uma notificação por e-mail, um alerta no dashboard etc.

O gestor, então, é capaz de agir com base na manutenção preditiva. Para ir além, é possível integrar soluções CMMS EAM e dispositivos IoT para mostrar o status atual de cada equipamento em um dashboard específico. Com a entrada da Inteligência Artificial (IA) e do Big Data, isso pode ser levado ainda mais longe. 

Nesse caso, o cruzamento de dados pode indicar um risco de falha que não seria identificado por um humano, por exemplo.

4 fatos importantes sobre a Internet das Coisas

Como você pôde ver, as aplicações da IoT não se limitam ao ambiente corporativo, ainda que sejam um fator crucial para o sucesso de setores como o da indústria. Os impactos disso em nossa sociedade são muitos. Para entender a dimensão do que está acontecendo, veja algumas curiosidades sobre essa tecnologia.

1. Em 2020, serão 20 bilhões de dispositivos conectados

Essa é a expectativa, segundo um estudo da Gartner. E não estamos falando apenas de smartphones. Máquinas de vendas, carros inteligentes, sensores e outros dispositivos de uso mais específico devem ser presença cada vez mais notória em nossas vidas.

O impacto disso deve ser visto na economia, nas formas de produzir e na própria vida das pessoas, como podemos ver no fato a seguir.

2. Cidades inteiras podem ser automatizadas

Em todo o mundo, as chamadas cidades inteligentes (smart cities) devem servir de palco para iniciativas extremamente inovadoras e disruptivas. Grosso modo, o conceito é similar ao das smart houses. Aqui, no entanto, a IoT e outras tecnologias são aplicadas para otimizar processos e promover o bem-estar a nível social.

Apesar de aplicações mais genéricas, como a automatização do controle da iluminação urbana, a tendência é que cada cidade foque nas suas principais demandas. Em Barcelona, por exemplo, a rede de coleta de lixo passou a ser a vácuo: as lixeiras públicas enviam o material depositado automaticamente por uma rede de encanamento subterrânea.

Outras cidades, como Tel Aviv e Medellín, são referência em projetos de segurança e saúde pública, respectivamente. O Brasil, por sua vez, avança a passos largos no incentivo à aplicação dessa tecnologia, especialmente com a publicação do Plano Nacional de Internet das Coisas, por meio do Decreto nº 9854/2019.

3. Qualquer dispositivo pode ser conectado

Mais do que uma tecnologia, a IoT é um conceito. Isso significa que ela não opera diretamente por meio de dispositivos específicos, mas pode se adequar a basicamente quaisquer equipamentos. Afinal, apesar de iniciativas mais direcionadas, como no caso da geladeira inteligente, a aplicação da IoT pode ser com base em demandas mais específicas.

Pensando na gestão de ativos e manutenção, por exemplo, é possível inserir sensores IoT em um equipamento qualquer para medir temperatura, umidade, vibração etc. Serão eles, então, os mecanismos que viabilizam o monitoramento em tempo real.

4. A IoT pode prever demandas

Sobretudo com o uso integrado da Inteligência Artificial, é possível correlacionar os dados coletados pelos dispositivos IoT para criar previsões específicas. A geladeira, por exemplo, pode aprender com que frequência ela deve realizar novas compras para otimizar as entregas.

A manutenção, por sua vez, pode cruzar dados de diferentes máquinas para identificar se uma falha com causa até então desconhecida está sendo causada por um excesso de vibração.

São aplicações tão variadas que, como explicamos, dependem basicamente da criatividade de quem desenvolve e implementa a Internet das Coisas. Gradativamente, devemos nos deparar com essa nova forma de se relacionar com a tecnologia em nosso dia a dia. Por isso, não perca tempo: coloque-a para trabalhar a favor da sua empresa!

Se quer mais conteúdo de qualidade, inscreva-se na nossa newsletter e receba gratuitamente nossos materiais!

Deixar comentário.

1 × um =

Share This