Software com hospedagem On Premise ou Nuvem: qual escolher?

Afinal, a melhor escolha é um software com hospedagem On Primise ou Nuvem? 

Ao adquirir um software, para sua empresa, seja on premise ou nuvem, é fundamental extrair dele o máximo desempenho possível. A performance desse tipo de ferramenta impacta diretamente o retorno sobre o investimento e a competitividade da organização. No entanto, o surgimento da cloud computing nos trouxe uma nova questão a ser considerada. Afinal, a melhor escolha é um software web, desktop ou em nuvem? 

Para esclarecer o assunto, criamos este artigo com tudo o que você deve saber sobre ele. Falaremos aqui sobre as características de cada modelo e as principais diferenças entre eles. Para finalizar, daremos algumas dicas para você não errar na hora da escolha. Confira!

Conheça os modelos de hospedagem

A hospedagem de um software é, resumidamente, o local onde os dados ficarão armazenados para que a ferramenta funcione corretamente. Antigamente, não havia muito segredo em relação a isso. Bastava instalar a aplicação em um computador e utilizá-la naquele mesmo dispositivo.

Em redes corporativas, isso passou a ser feito de forma diferente, já que alguns softwares poderiam estar localizados nos servidores compartilhados e não necessariamente em cada PC. Agora, com a nuvem, chegamos a uma nova era da digitalização, na qual os softwares nem sempre estão dentro da própria empresa.

Vamos, então, às definições de cada conceito.

Software On Premise (local)

O software em infraestrutura On Premise é aquele na qual a implementação é realizada na infraestrutura local da empresa. Assim, ele fica sob responsabilidade da organização, sendo tanto o hardware quanto os softwares administrados por ela.

Em geral, esse modelo traz consigo a necessidade de um investimento elevado para a compra. Além disso, é necessário manter o custo das estruturas física e digital (hardware e software, respectivamente), assim como de profissionais especialistas para a manutenção e segurança da ferramenta.

Software em Cloud Computing (nuvem)

O software na nuvem segue uma forma de distribuição e comercialização na qual ele é colocado à disposição do usuário por meio de uma estrutura computacional externa. O acesso se dá por meio de uma conexão com a internet, o que torna a relação uma espécie de prestação de serviço: a empresa, basicamente, paga para utilizar a aplicação de um fornecedor.

Nesse modelo, a administração é externa, mas feita de forma transparente. Assim, a empresa contratante tem a possibilidade de aumentar os recursos de memória, processamento e licença (quando necessário e sob demanda).

Entenda as principais diferenças

Além das características essenciais explicadas acima, algumas diferenças marcantes separam o software On Premise do Cloud. Para começar, implementá-lo localmente coloca sob responsabilidade da própria empresa questões como customização, implantação e evolução da infraestrutura e compra de licenças de sistema operacional, banco de dados etc.

O software na nuvem, por sua vez, costuma ser contratado por um custo fixo mensal. Dentro desse valor estão incluídas questões como suporte técnico, os custos de instalação e manutenção, as atualizações periódicas, backups, a segurança dos dados e toda a infraestrutura necessária para mantê-lo em pleno funcionamento.

Não é à toa que cada vez mais empresas buscam na nuvem uma solução para suas principais demandas de TI. O software em nuvem funciona bem para pequenas e médias empresas que não têm orçamento necessário para investir em uma infraestrutura própria ou em equipes de manutenção e suporte.

A solução cloud permite que os times aumentem e escalem os recursos à medida que a empresa cresce, libertando-os das preocupações sobre o gerenciamento da estrutura computacional que um software exige.

Afinal, isso é tudo o que devemos considerar na hora de escolher? A seguir, entraremos em alguns detalhes mais específicos que vão ajudar você na hora da compra.

Estabeleça critérios para realizar a compra

Toda aquisição de um ativo empresarial exige uma análise baseada em critérios específicos como retorno sobre o investimento, custo a longo prazo, performance, segurança etc. Listamos aqui os principais fatores que você deve ter em mente para fazer a escolha ideal para sua empresa.

Custo

Como detalhamos inicialmente, o custo de um software cloud tende a ser bem mais baixo, principalmente para empresas menores. O motivo é simples: além de poder acessá-lo em formato de serviço, transferi-lo para a nuvem permite que você siga um planejamento mais adequado em relação às demandas reais da sua organização.

Não é preciso ter uma equipe inteira focada na manutenção do sistema, algo que já representa uma grande redução de custos. Se for necessário escalar a infraestrutura, basta entrar em contato com o fornecedor e discutir a questão para que seja estabelecido um novo acordo. Da mesma forma, é possível reduzir o tamanho do serviço se o atual estiver entregando mais do que sua empresa realmente precisa.

Sendo assim, a definição de qual dos dois modelos é mais vantajoso vai depender da real necessidade da empresa, bem como quais recursos e funcionalidades de fato o negócio necessita. Isso nos leva a questões de perfil empresarial.

Personalização

Se o custo é uma das grandes vantagens do software cloud, a personalização pode não ser tão interessante. Empresas que preferem atuar com alto nível de customização de suas ferramentas tendem a preferir soluções implementadas localmente, já que isso dá maior poder de ação para a equipe de TI.

O controle total sobre as informações é, em geral, maior na hospedagem On Premise.

Segurança

Empresas especializadas em serviços de nuvem costumam realizar fortes investimentos em segurança, assim como auditoria contínua, compliance e controle de acessos aos serviços. Isso é algo que, às vezes, não ocorre em organizações que mantêm seus sistemas em infraestrutura local (On Premise).

Por isso, quem lida com dados sensíveis, mas não tem recursos disponíveis para elaborar uma grande barreira de proteção, costuma encontrar na hospedagem cloud uma alternativa mais acessível. Entretanto, quem conta com uma equipe capacitada pode preferir assumir essa responsabilidade, principalmente se os dados são de alto nível de sensibilidade.

No caso da infraestrutura On Premise, o controle e a flexibilidade oferecidos pelo software local permitem que a empresa implemente uma variedade de medidas de segurança para proteger ainda mais seus serviços contra-ataques.

Funcionalidade e acessibilidade

Atualmente, questões como mobilidade se tornaram fundamentais para empresas de todos os tamanhos, já que as ferramentas precisam estar disponíveis para acesso a qualquer hora, de qualquer lugar. Nesse sentido, a nuvem se destaca pelo fato de que exige apenas uma conexão com a internet.

No entanto, é fundamental ter em mente que cada empresa tem suas próprias demandas e a decisão deve ser tomada após colocá-las na balança. Se a nuvem veio para ficar, é preciso entender os motivos e checar se é isso que sua organização deseja para a infraestrutura que tem.

Como você pôde ver, optar por software web, desktop ou em nuvem é uma questão que depende muito das necessidades de cada instituição. Faça um bom planejamento e encontre o modelo que melhor atende às suas demandas!

Se gostou do conteúdo, veja também nosso artigo com 5 motivos para contratar um software flexível!

$0fmypfy17n4 - Software com hospedagem On Premise ou Nuvem: qual escolher?  $jyiiuziavzq - Software com hospedagem On Premise ou Nuvem: qual escolher?   $nza322fswpg - Software com hospedagem On Premise ou Nuvem: qual escolher?

1 comentário

Deixar comentário.

2 × 3 =

Share This