Manutenção Offshore: saiba tudo sobre a manutenção em alto mar

Um setor que é muito importante na economia do país e que também precisa de cuidados na manutenção é a Manutenção Offshore. Saiba mais!

manutencao-offshore-alto-mar.

A  manutenção está presente em todos os setores da indústria. Isso porque sempre tem uma máquina ou equipamento funcionando e que precisa de intervenções para garantir o correto funcionamento.

Por aqui já falamos sobre manutenção industrial, de frota, energia e vários outros setores que são mais comuns. Mas hoje vamos falar sobre um setor que é muito importante na economia do país e que também precisa de cuidados na manutenção. Estamos falando sobre a Manutenção Offshore ou Manutenção em alto Mar. 

Você sabe o que é Amazônia Azul? Qual seu impacto econômico sobre o PIB brasileiro? O que são atividades econômicas onshore e offshore? E o que tem tudo isso a ver com a manutenção? 

Navegue conosco neste ‘mar de conhecimento’ que responderemos a essas e outras perguntas sobre o assunto. 

Compartilhe!

O que é Amazônia Azul?  

A Amazônia Azul é uma comparação com a Floresta Amazônica que também é muito importante para o Brasil e para o mundo.  

De acordo com a Marinha do Brasil, nosso país possui em sua jurisdição cerca de 5,7 milhões de quilômetros quadrados (KM²) de espaço marítimo.  

Esses milhões de quilômetros quadrados compõem: superfície e o leito do mar, solo e subsolo marinho contido do litoral brasileiro e além disso, a economia azul utiliza os recursos marinhos para a geração de empregos e bem-estar social.  

Dos mares, são extraídos em média 95% do petróleo, 80% do gás natural e 45% do pescado produzidos no país. Através das rotas marítimas, passam 95% do comércio exterior, sem falar na diversidade biológica, potencial energético e biotecnológico, recursos minerais e ecoturismo.  

Apenas com esses dados, vemos o impacto econômico que a Amazônia Azul tem, bem como o desenvolvimento nacional está atrelado à “Oceanopolítica’  

O que são atividades econômicas Onshore? 

Agora que já sabemos o impacto econômico que a Amazônia Azul tem, falemos um pouco sobre suas atividades econômicas. Certamente você já ouviu falar sobre o termo ONSHORE e OFFSHORE.    

Onshore quer dizer ‘em terra’. Isso significa que as atividades de exploração e produção são feitas em terra. Normalmente essa exploração e produção, trata-se de gás natural e petróleo. Tais atividades são realizadas em região geológica, em solo de uma reserva subterrânea.  

Você sabia que no Brasil, a primeira vez que se tem notícia de descoberta de petróleo foi em terra? Sim, isso ocorreu na cidade de Lobato na Bahia, no ano de 1939. Com isso, surgiram as refinarias.  

Hoje existem refinarias nos estados do Pernambuco (PE), Rio Grande do Norte (RN), Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP), Minas Gerais (MG), Paraná (PR). Ao todo existem 17 refinarias no país e a maioria pertencem à Petrobrás.  

A partir das refinarias o óleo bruto é transformado em diversos produtos que todos utilizam diariamente. Esses produtos petroquímicos são divididos em três grupos:  

  • Básicos: fazem parte do grupo básicos produtos como a amônia, que é uma matéria-prima utilizada para fabricação de fertilizantes nitrogenados, por exemplo, que são usados na agricultura, principalmente na produção de milho, algodão, café, laranja etc.  O metanol, que é um insumo importante para a produção de biocombustíveis. O propeno, que é uma matéria prima usada para produção de embalagens alimentícias, peças para automóveis dentre outros. 
  • Intermediários: a partir dos produtos do grupo básico são gerados subprodutos que se enquadram no grupo intermediário até chegar ao grupo de produtos finais.
  • Finais: os produtos finais são as borrachas sintéticas, solventes, detergentes, plásticos e outros.

O que são atividades econômicas Offshore? 

As atividades econômicas Offshore são aquelas que são feitas em alto mar. Já sabemos que 95% do petróleo extraído no Brasil é realizado na Amazônia Azul, portanto não precisamos nem falar da importância que as atividades econômicas Offshore tem, não é mesmo?  

As indústrias petrolíferas Offshore, possuem suas plataformas fixadas em alto mar para extração nas profundezas do oceano. Para realizar a exploração em alto mar, são fixadas plataformas com tubo de aço ou ainda ancoradas com cabos de aço. Assim, o solo marítimo é perfurado e ao alcançar os reservatórios, o petróleo é exportado e trazido em submarinos para a plataforma marítima. 

Posteriormente o petróleo é transportado em larga escala. Isso ocorre através de oleodutos, tubos submarinos ou ainda os navios-tanques também conhecidos como petroleiros. Tenho certeza de que você já ouviu falar.  

A exploração de petróleo em alto mar iniciou-se em 1968, na região Nordeste, precisamente no estado de Sergipe.  

Após dois anos de atividades, no final dos anos 70, houve um aumento significativo da produção Offshore, superando os campos Onshore. Desde então, as plataformas mais produtivas do país são as marítimas. Em 2019, o Brasil ocupou a 10ª posição no ranking global para produção de petróleo, uma conquista significativa para economia e crescimento do país! 

O Brasil compete diretamente no mercado com os maiores produtores mundiais de petróleo como os Estados Unidos, a Rússia e a Arábia Saudita. O poço da Bahia de Santos, por exemplo, produz 25 mil barris diariamente, bem acima da média, o que faz com que o Brasil se destaque.  

Uma curiosidade sobre a construção das plataformas é que são realizadas em terra e então erguidas sobre o local de extração. Primeiramente é feito um estudo do ambiente escolhido, para certificar se a área corresponde com as expectativas, uma vez que os custos para a construção desses ativos são altíssimos.  

Mais uma curiosidade: a maior plataforma em alto mar do mundo está localizada na costa oeste da Noruega e possui a altura de 472 metros, o que a levou ao prêmio do Guinness World Record. Ela foi batizada de Troll, por estar localizada no campo de gás Troll.  

 

Principais ativos Offshore 

Mas voltemos ao nosso tema e vamos falar dos principais ativos Offshore. Você sabe quais são os ativos Offshore? Existem as plataformas fixas e os sistemas flutuantes.  

Plataformas fixas: trata-se do ambiente projetado para a alocação dos equipamentos, alojamento dos colaboradores, estocagem de materiais dentre outras. Nas plataformas não são estocados o petróleo extraído, normalmente esses são estocados em sistemas flutuantes de produção. 

Sistemas flutuantes: são navios de grande porte que ficam ancorados em locais específicos. Os principais tipos de sistemas flutuantes são:  

  • Unidades Flutuantes de armazenamento; 
  • Unidade Flutuante de produção e descarga; 
  • Unidades Flutuantes de produção, armazenamento e descarga. 

Diante de tais informações é possível concluir que as atividades Offshore exigem logística avançada e tecnologia de ponta para um bom funcionamento e isso implica diversas coisas, incluindo a manutenção em alto mar, que é o tema de nosso artigo.  

Como fazer uma boa gestão de manutenção offshore? 

Para fazer uma boa gestão da manutenção offshore é necessário se atentar para alguns passos:  

  • Entender os fluxos da manutenção   

Conhecer seus tipos de ativos e entender como realizar cada manutenção é fundamental para uma boa gestão da manutenção. Além disso, acompanhar indicadores de MTBF e MTTR e confiabilidade das máquinas, bem como entender os riscos e cuidados necessários para cada execução.  

  • Conhecer os tipos de manutenção  

Os ativos para atividades offshore são bem específicos e certamente sua manutenção também será. Entender quando realizar uma manutenção corretiva, preventiva ou preditiva, é fundamental. É preciso levar em consideração que muitas vezes uma plataforma fica no mesmo lugar por muito tempo.  

  • Cronograma para a manutenção  

Considerando o tempo e complexidade que há em manter plataformas e sistemas flutuantes em funcionamento e total segurança para os tripulantes e meio ambiente, é fundamental manter cronograma para a manutenção.   

  • Envolvimento de todos os setores  

Já sabemos o quanto a falta de comunicação e processos podem causar estragos, portanto é crucial envolver todos os setores aos processos, alinhado com o time de gestão da manutenção, para que cada detalhe do processo e das áreas tenham ciência de seu papel e assim exercerem sua função no momento correto e de forma eficaz.  

  • Tenha uma equipe preparada  

Para realizar a manutenção offshore é necessário contar com equipe preparada. Para um engenheiro de petróleo, por exemplo, antes de começar a trabalhar em uma plataforma de perfuração, é preciso realizar diversos cursos que são pré-requisitos globais. Curso de primeiros socorros,  de sobrevivência no mar, como apagar incêndio, de como sair de um helicóptero, sem falar em cursos específicos para acompanhar as atividades do time de manutenção.  

  • Invista em um software especialista de manutenção  

Sabemos que a tecnologia está cada vez mais avançada, não sendo apenas uma opção a inovação e sim um meio de sobrevivência. Empresas petrolíferas não seria uma exceção, portanto contar com um software CMMS/EAM para auxiliar na manutenção dos ativos é fundamental.  

Vantagens em utilizar um software especialista na manutenção offshore 

A manutenção offshore tem vantagens como:

  • Fazer a gestão dos ativos; 
  • Acompanhar histórico de manutenções e particularidades de cada equipamento; 
  • Controlar o estoque de peças de reposição;  
  • Realizar a gestão e nivelamento produtivo dos colaboradores;  
  • Fazer a gestão de suas qualificações e treinamentos;  
  • Acompanhar carga horária e fazer a gestão de escala de trabalho: 
  • Documentar todos os processos necessários para embarcação e para as manutenções em plataformas offshore;  
  • Padronizar modelos de manutenção etc.  

 É possível que muitas empresas mantenham os históricos em planilhas eletrônicas, no entanto, através de um software competente a gestão de manutenção será bem mais eficiente, otimizando tempo, processos e custos.  

Como o software Engeman® ajuda na manutenção offshore?  

A utilização de um software especialista é essencial para uma manutenção offshore eficiente. O Engeman® é uma solução CMMS que possibilita o acompanhamento da manutenção através de dispositivos móveis diretamente da plataforma em alto mar e o que é melhor, totalmente Offline. Nossa solução possui o módulo Mobile que possibilita ao time de manutenção:  

  • Abrir, fechar e cancelar uma ordem de serviço em offshore;  
  • Informar material utilizado na manutenção;  
  • Apontar atividades e horas de serviços realizados offshore;  
  • Visualizar documentos importantes para o processo de manutenção, dentre outras atividades.  

Quer saber mais? Agende uma apresentação  com o nosso time de analistas de negócios e entenda como o Engeman® pode ajudar sua empresa a realizar a manutenção em alto mar!  

    SOLICITE UM ORÇAMENTO DO SOFTWARE ENGEMAN®.

    Siga-nos