Entenda quais são os três principais tipos de manutenção
ARTIGOS Manutenção Preventiva

Entenda quais são os três principais tipos de manutenção

 

Independentemente do seu tipo e da forma de aplicação, a manutenção pode ser definida como um conjunto de procedimentos que são realizados periodicamente em sistemas, máquinas e equipamentos.

Essas intervenções têm como principal objetivo manter os dispositivos em pleno funcionamento e garantir que todas as suas funções sejam desempenhadas de forma eficaz e com alta confiabilidade.

Ao longo da história, a manutenção sofreu muitas modificações até chegar aos mais sofisticados processos existentes atualmente. Com o passar dos anos, novas tecnologias foram incorporadas e processos, técnicas e procedimentos foram desenvolvidos.

Tudo isso fez com que as intervenções para reparos se tornassem mais eficazes e rápidas. Dentre as diversas linhas e diferentes tipos de manutenção, existem três que possuem maior destaque a aplicação: a manutenção corretiva, a manutenção preventiva e a manutenção preditiva.

Cada uma delas possui uma forma de aplicação e um momento certo para ser realizada. Todos os engenheiros, supervisores e coordenadores de manutenção sabem que todas elas são necessárias para que as máquinas e os equipamentos mantenham-se seguramente em operação.

Caso você tenha alguma dúvida sobre esses três principais tipos de manutenção, não se preocupe! Vamos apresentar, a seguir, tudo o que você precisa saber sobre cada um deles. Confira!

Manutenção Corretiva

Esse tipo de manutenção é o mais antigo dos três, pois existe desde antes da Segunda Guerra Mundial, quando a indústria não era mecanizada e quando todos os reparos eram realizados somente quando existiam quebras.

Como o próprio nome diz, a manutenção corretiva atua nos equipamentos para corrigir falhas, quebras ou defeitos, realizando intervenções que façam com que as máquinas retornem à operação normal.

Ao contrário do que muitos dizem, não necessariamente as intervenções corretivas são procedimentos de emergência, pois elas podem também ser realizadas para corrigir e restaurar o desempenho dos equipamentos.

A manutenção corretiva pode ser divida em dois tipos distintos.

  • Manutenção Corretiva não Planejada: correção de uma falha aleatória em que não existe tempo para agendamento e preparação do serviço de reparo a ser realizado. É representada por correções de quebras que mantêm máquinas fora de operação. São caras, demandam tempo e levam a perdas de produção ou serviços.

  • Manutenção Corretiva Planejada: realizada quando é detectada a perda de performance das máquinas — nesse caso, existe tempo para programar e planejar a intervenção. Ela é mais barata que as tarefas não planejadas, mas gera perdas pela queda de desempenho dos equipamentos. É aconselhado que seja realizada o quanto antes para evitar que falhas ocorram.

A Manutenção Corretiva não possui vantagens, pois ela visa somente corrigir falhas e retornar os equipamentos ao seu pleno funcionamento.

Manutenção Preventiva

Esse tipo de manutenção é muito conhecido e amplamente utilizado. A manutenção preventiva tem como objetivo evitar quebras e o aparecimento de falhas em máquinas e componentes.

As tarefas preventivas são realizadas de forma periódica, sendo cumpridas antes que surjam avarias e falhas ocorram, garantindo que as máquinas mantenham seu funcionamento eficaz e de forma confiável.

Todos os procedimentos preventivos são programados e devem ser realizados de forma periódica, seguindo um intervalo previamente determinado — geralmente estipulado pelo fabricante do equipamento ou pela própria empresa que o utiliza.

Geralmente, as intervenções preventivas são realizadas de acordo com o uso da máquina, levando em consideração fatores como horas de uso, quilometragem, ciclos de operação e outros.

Por ser uma manutenção totalmente planejada, os supervisores não são surpreendidos. Isso evita quedas de rendimento, paradas para reparos e, principalmente, diminui os custos da manutenção.

É muito importante saber que essa alternativa não diminui as trocas de componentes em um determinado equipamento, mas que permite que a vida útil dele seja maximizada. Dentre as principais vantagens da manutenção preventiva, pode-se destacar:

  • redução do envelhecimento e degradação dos equipamentos;

  • aumento da vida útil;

  • diminuição das paradas e tarefas corretivas;

  • redução dos riscos e acidentes;

  • redução dos custos da manutenção.

Manutenção Preditiva

O último tipo de manutenção é o mais moderno dos três. A manutenção preditiva é definida pelas atuações que são feitas nas máquinas de acordo com alterações em parâmetros de controle e perdas de performance.

Ela é conhecida na Engenharia de Manutenção como um método que tem a finalidade de indicar, por meio de softwares e equipamentos, as condições de funcionamento e desempenho de uma máquina em tempo real.

Em outras palavras, a manutenção preditiva proporciona o monitoramento do aparelho em questão. Ela é aplicada para o acompanhamento de diversas condições, como as elétricas, as mecânicas, as hidráulicas e as pneumáticas.

Por meio desse controle de parâmetros e métricas é possível que os responsáveis pela manutenção monitorem a degradação dos equipamentos, percebam perdas de rendimento e determinem as intervenções em momentos propícios. Tudo isso evitará que ocorram perdas para a empresa.

Esse tipo de manutenção carece de alguns investimentos — em sensores, softwares e computadores, por exemplo. Somente com uso da tecnologia pode-se monitorar os parâmetros das máquinas, pois a manutenção preditiva é feita de forma remota.

Ou seja, ela dispensa que os equipamentos sejam inspecionados fisicamente. Não são necessárias paradas e desmontagens, por exemplo. Dentre as principais vantagens da manutenção preditiva, pode-se destacar:

  • possibilidade de previsão das intervenções nas máquinas;

  • eliminação das inspeções físicas e desmontagem de equipamentos;

  • redução das intervenções corretivas;

  • redução de custos;

  • garantia de confiabilidade do equipamento;

  • aumento da vida útil;

  • determinação de causas raízes.

Com a implementação da tecnologia e o emprego das técnicas preditivas, o resultado é um aumento significativo dos intervalos de reparo e uma expressiva redução no número de quebras e das intervenções corretivas.

A manutenção preditiva garante a confiabilidade e a máxima disponibilidade de máquinas e equipamentos, proporcionando uma grande diminuição dos custos de manutenção das empresas que aderem a ela.

O ideal é que as empresas possuam um programa de manutenção focado nas intervenções preventivas periódicas, garantindo lubrificação, limpeza, ventilação, arrefecimento e controle adequados — e também monitorando os equipamentos por meio das melhores práticas e técnicas preditivas.

É importante que os supervisores e coordenadores de manutenção saibam que isso não elimina totalmente as intervenções corretivas. Quebras acontecem e nem sempre podem ser previamente detectadas. Por isso, é importante conhecer todos os tipos de manutenção e saber quando utilizar cada um deles de forma a maximizar o uso das máquinas.

Gostou de aprender quais são os tipos de manutenção e suas diferenças? Compartilhe este post nas suas redes sociais e ajude outras pessoas a entender melhor sobre o assunto!

 

Deixar comentário.

Share This